27 de set de 2012
Meio assim sei lá o que... 

sentimento rosa com borboletas no estômago. Uma ode cercada de versos. 
sina da sina da lira da tira 
do cisco do mito 
da forma

meio assim não sei bem o quê.
da forma inconstante
breve, trilíngue e mariposas. 

meio cá meio lá
entre pernas e versos.
então assim?

será o que então?
arranca estes meus dedos que teimam em escolher.
escolhe a mim.
escolhe a ti.

no seu sistema verborrágico
catarses
gritos e pratos
então vá.

                                                         Obra da artista plástica ALVA BERNARDINE
                                                          Poema: autoria d'esta que vos escreve. 


19 de set de 2012
Borbulhante....



13 de set de 2012

.:veranicos:.

Desconexões transversas...

                                         está na hora de desintegrar...



11 de set de 2012

.:FACÍNORA:.

Ela vem aí....
                    AGUARDEM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


10 de set de 2012

AS ROSAS DO JARDIM DE ZULA

Todo mundo é doido. A gente se esforça é pra ser são.

Super elogiada no Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto, as atrizes Talita e Andréia , com muita criatividade, pouco dinheiro no bolso e muitos amigos colaboradores, transformaram a cena em uma peça linda.
Transcorrê-la, aqui, seria desmanchar uma poesia. Não me cabe descrever o belo. Tampouco o feminino. Tampouco o olhar de duas atrizes sobre a vida de uma mulher comum: Rosângela.
Mãe, mulher? Indagam o tempo todo. Figuras que se misturam e formam os traços de uma peça capaz de fazer rir e chorar. Assim como a mulher: uma incógnita que guarda em si todos os sentimentos do mundo.
É tanta delicadeza dentro da fortaleza, que a peça se transforma em linhas poéticas...


Mulher...
Vai com a cara amarga
A boca cheia e o olhar perdido.
Segue rumo à estrada.
Colhe sonhos e colhe abismos.
Segue desvairada nesse lugar que chama de mundo.
Sozinha e quieta transborda em fundo.
É tão forte que não suporta.
Segue breve. Segue atenta.
Medo não tem. Tem saudades.
É firme. É brisa. É tormenta.
É fome. É corte. É recorte.
é só.
Mulher, forte? Sorte? Morte?
Mulher. Apenas. Tudo.


                                           Esta que vos escreve e Talita Braga, linda amiga e atriz, que me presenteou com uma peça linda e uma rosa!!! 

E notícia boa! A peça estará em cartaz!!!


Setembro
21 em Divinópolis no teatro Gravatá
29 no CASA - Centro Artístico Suspensa Armatrux em Nova Lima

Outubro
19, 20 e 21 / 26, 27, 29 no Esquyna
Rua Célia de Souza, 571 B, Sagrada Família, BH.