31 de ago de 2012

Idiossincrasias


Atravessando os meus eus,
Saio de mim e parto.
Movo de mim.
Desgrudo com um rastro de mel.
Atraverso, Devastroço, Desejolhar.
Nas folhas que pulo o rastro do que fui.
As lembranças que vão.
Dou à minha nova pele um cheiro diferente.
Cheiro de novo, cheiro de cor.
Devastamor. Atravimanha, desessonho.
Descascando a rotina.
Peço a trilha reta.
E desfaço os círculos dos bons momentos.
O que não volta já foi.
O que sou é o novo move-me.



0 comentários:

Postar um comentário