14 de jan de 2012

.:AQUELES DOIS:.

NUM DESERTO DE ALMAS TAMBÉM DESERTAS UMA ALMA ESPECIAL RECONHECE, DE IMEDIATO, A OUTRA.
E essa densa frase resume a peça, baseada num conto de Caio Fernando Abreu (que, por sinal, um escritor fantástico).
Direção impecável e uma entrega imensa dos atores. Não cabe aqui contar a história: ela é cheia de surpresas e te prende de uma tal forma que não se percebe o tempo passar.
O que mais me impressionou foi a naturalidade com que os atores interagem com o público. Até mesmo no final, eles permanecem no palco para receber cumprimentos e receber opiniões.
Atores assim estão em extinção. Assim como diretores. Conheço artistas incríveis mas não aceitam receber nenhuma crítica. Ou seja: ficam retidos numa redoma que quebra com facilidade.
Com Luna Lunera não. Você entra na história e mergulha no deserto de almas até encontrar uma amizade sincera, capaz de mudar todo o correr de uma vida. E depois, pode dar sua opinião de forma aberta, e, caso diga que não gostou, eles entendem e pedem ainda pra escrever num papel. Quem sabe aquilo realmente preciso de uma reforma? Afinal, ator também erra. E como eles reconhecem isso, se tornam monstros no palco, capazes de enfrentar os textos mais pesados. E como tem os ouvidos abertos, se reciclam, se renovam, e sempre se superam.
E como Guimarães Rosa já dizia que O CORRER DA VIDA EMBRULHA TUDO, vale a pena assistir a peça, se emocionar, se entregar, e, até mesmo, se identificar!
Fica a dica!!!

AQUELES DOIS pertence à Campanha de Popularização do Teatro e fica em cartas entre os dias 07/01 a 29/01 - quinta a domingo sempre às 20:00h no Sesc Palladium (espaço multiuso). Ingressos R$ 8,00 nos Postos Sinparc.

1 comentários:

Fabio Teixeira disse...

E, para mim, Aqueles Dois é uma AULA DE TEATRO!

Postar um comentário